• slide02
  • slide02D
  • Slide 4C
  • Slide 7B
  • slide06
  • slide08
  • Slide12

LPCDR

Em Portugal, as doenças reumáticas têm uma prevalência de 56% (EpiReumaPt), sendo estas responsáveis por 40-60% das situações de incapacidade física prolongada e perda de autonomia, por 43% de absentismo no trabalho e por 35-41% de reformas antecipadas devido a doença (DGS, 2004). As reformas antecipadas por doenças reumáticas custam mais de 900 milhões de euros por ano (EpiReumaPt).

As doenças reumáticas e músculo-esqueléticas são a maior causa de faltas por doença e de reforma antecipada em todo o mundo. No mundo industrializado, afetam mais pessoas do que qualquer outro grupo de doença. Afetam um quarto de todas as pessoas na União Europeia - mais de 120 milhões de pessoas (EULAR).

Têm globalmente um enorme peso económico nos sistemas de saúde. Na Europa, a despesa pública com estas doenças totaliza mais de 200.000.000.000 € por ano. São as doenças mais caras para os sistemas socioeconómicos e de saúde europeus. Os custos estão relacionados com o diagnóstico, tratamento, medicamentos, cuidados, dispositivos auxiliares, modificações em casa, e pesquisa. Além disso, a diminuição da produtividade e ausência do trabalho em resultado destas doenças contribui significativamente para estes custos (EULAR).

Quando comparadas com outros doentes crónicos, as pessoas com doenças reumáticas e músculo-esqueléticas reportam pior qualidade de vida (EpiReumaPt). O diagnóstico e tratamento atempado podem impedir lesões permanentes e melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas (EULAR).

A Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas (LPCDR) foi criada em 1982 com o objetivo de promover a educação social do doente reumático e da população em geral, difundindo informações sobre a natureza, tratamento, prevenção e repercussões sociais das doenças reumáticas.